português
inglês
francês
suaíli
introdução
visão
notícia
índice
sujeitos potenciais
bibliografia
subsídios
escritórios
escreva-nos


Manhique, Babilon Mahluza
faleceu em 1982
Igreja do Nazareno
Moçambique

O Pastor Babilon Mahluza Manhique costumava fazer papel de curandeiro tradicional dos changana, um adivinhador que consultava os ossos (hlahluva tihlolo) para descobrir quem eram os feiticeiros que faziam as pessoas adoecer ou mesmo as matavam. Ele converteu-se sob o ministério do Rev. Paulo Sueia. Mahluza não tinha muita instrução, mas veio a ser um evangelista poderoso, procurado por muitas igrejas no Distrito de Tavane para fazer campanhas evangelísticas. Quando ele orava, as pessoas se sentiam abençoadas.

Um curandeiro tradicional de poder e influência consideráveis vivia não muito longe da igreja integrada por Mahluza em Malwelane, Fumane. Um dia ele adoeceu e, aparentemente, morreu. Começaram os preparativos para o enterro; abriu-se a cova e os colchões de caniço iam sendo arranjados, quando o curandeiro recuperou os sentidos, para susto da família. Ele contou-lhes que tinha visto um homem vestido de branco. O qual lhe disse que ele não havia de morrer ainda, mas teria tempo para se arrepender. O homem recomendou-lhe: "Chama o pregador Babilon Mahluza e procura o caminho da salvação.". Ele chamou o Pastor Mahluza e encontrou o Senhor.

O curandeiro convertido começou a endireitar a sua vida tanto quanto possível. As coisas dedicadas aos espíritos dos antepassados foram recolhidas: cestos, pedaços de casca de árvore, raízes, panos demoníacos, um pequeno recipiente de mel, muitos remédios e amuletos, bem como galinhas, um cão e um touro novo. Ele pediu à igreja que fizesse um culto na sua casita. A casita, com todas as coisas malignas, foi queimada. As galinhas e o cão foram mortos e deixados às aves de rapina. O touro foi vendido e o lucro, usado para o evangelismo. Ele regozijou-se na nova vida que Jesus lhe tinha dado.

Um dia, pouco depois, estando ele ainda deitado no colchão, pediu que o levassem até à porta da casa donde podia olhar em direção à igreja. Rodeado de cristãos e olhando para a igreja de palha e caniço, faleceu e foi para ficar junto do Senhor e Rei que tinha encontrado recentemente.[1]

A esposa do Sr. Babilon Mahluza faleceu em 1978. Em 1981, os guerrilheiros atacaram e saquearam a vila e a casa do Sr. Mahluza em Malwelane. Ele e sua congregação fugiram para salvar as vidas, e a igreja se dispersou. O Pastor Babilon faleceu com uma idade muito avançada.[2]

Paul S. Dayhoff



Citações:

1. C. S. Jenkins, "The Conversion of a Witch Doctor" in Russell V. DeLong, We Can If We Will: The Challenge of World Evangelism, (Kansas City, MO: Nazarene Publishing House, 1947),100. Oscar Stockwell, "Taught, Transformed, Translated", The Other Sheep, Mission magazine of the Church of the Nazarene, (Kansas City, MO: Nazarene Publishing House, December 1951),7.
2. Vicente James Mbanze, carta, (20 de julho de 1995).




Este artigo é reproduzido, com permissão do livro Living Stones In Africa: Pioneers of the Church of the Nazarene, edição revisada, direitos do autor © 1999, por Paul S. Dayhoff. Todos os direitos reservados.

Este artigo foi traduzido da língua inglesa pelo Rev. Roy Henck, missionário reformado para Cabo Verde, e pelo Rev. António Barbosa Vasconcelos, pastor cabo-verdiano.