português
inglês
francês
suaíli
introdução
visão
notícia
índice
sujeitos potenciais
bibliografia
subsídios
escritórios
escreva-nos


Mulate, Samuel
faleceu em 1922
Igreja do Nazareno
Moçambique

O Pastor Samuel Machitani Mulate foi um dos primeiros convertidos da International Holiness Mission (Missão Internacional de Santidade), e ele foi o primeiro líder desse grupo a estabelecer igrejas em Moçambique.

Quando rapazito, num lar não cristão em Moçambique, a mãe dele ficou moribunda. Todos os esforços do médico tradicional falharam, e ela ficou sozinha na choupana. Samuel entrou e ela pediu-lhe um copo de água. Ele ficou com medo e abandonou a choupana. Ele entrou outra vez e ela rogou-lhe que trouxesse um copo de água e que lhe mudasse a almofada de madeira. Mais uma vez ele fugiu; e quando por fim voltou a entrar a mãe já tinha falecido. Mais tarde, essa lembrança perturbou-lhe muito a consciência.[1]

Samuel converteu-se enquanto trabalhava nas minas em Joanesburgo. Afastou-se do Senhor, mas quando vivia numa residência coletiva perto de Benoni (East Rand), ouviu os cristãos a testemunhar num quarto anexo ao dele. Então dirigiu-se à missão em Ferguson. Ao altar, em lágrimas, ele regressou ao Senhor. O Sr. Mulate veio a ser uma testemunha zelosa de Cristo e um líder entre os cristãos. Muitas vezes orava sozinho. Ele foi o primeiro entre os novos convertidos a encontrar a experiência de santidade. Este novo relacionamento com Deus encheu-lhe o coração de gozo.[2]

Uma vez ele esqueceu-se da hora. Era contra as regras alguém ficar fora da residência depois duma certa hora da noite. Estando ajoelhado sozinho onde orava, Samuel sentiu a força da pele do rinoceronte nas costas. Um policial sul-africano gritou: "Que fazes aqui a estas horas da noite?". O polícia bateu-lhe vez após vez enquanto voltavam à residência. O Sr. Mulate não lhe respondeu uma palavra. Na manhã seguinte, as costas e os braços dele estavam inchados e todo o corpo lhe doía. Com um sorriso feliz, testemunhou depois acerca da experiência: "Naquela noite o meu coração e o meu corpo estavam tão revestidos da glória de Deus que não senti o castigo." Ele levou o seu irmão, João Mulate, ao Senhor.

Um ano depois, em 1913, Samuel voltou à sua casa em Moiene, no distrito de Chibuto. Ele e seu irmão logo juntaram um grupo pequeno de cristãos à volta deles e construíram uma pequena igreja com os materiais disponíveis (estacas, capim e lama). Samuel Mulate trabalhou fielmente durante muitos anos para o seu Senhor. Ele estudou a Bíblia e tinha um conhecimento extraordinário da verdade sobre a sagrada escritura. Era verdadeiramente um homem de Deus, humilde, um homem de oração e cheio de zelo até ao fim.[3]

Os pastores Samuel e Johane estabeleceram muitas outras igrejas nas zonas à volta deles. Em 1923, tanto o Pastor Samuel Mulate como seu irmão, Johane, morreram com a tísica dos mineiros.[4] A esposa de Samuel, Abressa, foi viver para a missão em Chaimite porque um irmão de Samuel, que não era cristão, tentou tomá-la como sua segunda esposa (conforme o costume dos Changanas).

Paul S. Dayhoff



Citações:

1. Rev. e Sra. I. E. Dayhoff, Missionary Vicissitudes (Vicissitudes Missionárias), (Cincinnati, OH: God's Bible School and Revivalist, 1938), 68.
2. Relatório de E. M. Jones.
3. H. K. Bedwell, Black Gold (Ouro preto): The Story of the International Holiness Mission in South Africa, (Cape Town: Cape Times Limited, 1936), 51-52.
4. Sra D. B., Reginald and Harold Jones, David Jones: Ambassador to the Africans, (Kansas City, MO: Beacon Hill Press of Kansas City, 1955), 74-78.



Este artigo é reproduzido, com permissão do livro Living Stones In Africa: Pioneers of the Church of the Nazarene, edição revisada, direitos do autor © 1999, por Paul S. Dayhoff. Todos os direitos reservados.

Este artigo foi traduzido da língua inglesa pelo Rev. Roy Henck, missionário reformado para Cabo Verde, e pelo Rev. António Barbosa Vasconcelos, pastor cabo-verdiano.