português
inglês
francês
suaíli
introdução
visão
notícia
índice
sujeitos potenciais
bibliografia
subsídios
escritórios
escreva-nos


Steenkamp, Rosa
1943 a 1983
Igreja do Nazareno
Moçambique

Rosa (dos Santos) Steenkamp nasceu num lar estritamente Católico Romano, na vila de Igreja Nova em Portugal. Ainda menina, ela se chocou quando um padre lhe fez uma perguntou sugestiva e constrangedora. Depois disso, ela jamais se confessou.

Aos dezesseis anos de idade ela emigrou para Moçambique e morou com a sua irmã em Lourenço Marques (Maputo). Casou-se quando tinha 21 anos. Alguns amigos do seu esposo pertenciam à Igreja do Nazareno da cidade. Eles a convidaram para ir à igreja na semana anterior à Páscoa.

Na segunda vez que ela foi, ela encontrou o Senhor. Ela explicou: "- Eu fui à frente, ao altar. Confessei os meus pecados e aceitei a Jesus como meu Salvador pessoal. A minha vida foi completamente mudada e o meu único desejo era servir e agradar a Deus." O seu marido também se converteu e entraram para a igreja. Quatro anos depois, em 1964, visitaram Portugal. Seus pais aceitaram a sua conversão. Logo depois, o seu marido pediu a separação legal, e começou a bater nela, e a maltratá-la. Ele finalmente a deixou no dia de ano novo de 1970. Ela trabalhava no turno da noite numa empresa telefônica, e tinha outro emprego durante o dia. Um operador muito gentil chamado Sr. Neil Steenkamp de Durban, Natal, começou a ajudá-la no inglês durante as conversações telefônicas.

Eles começaram a se corresponder. Ele era Afrikaans e também falava inglês, mas não sabia português. Ela não sabia Afrikaans, mas tinha começado a aprender um pouco de inglês. Quando ela o visitou em Durban, ele procurou uma Igreja do Nazareno e a levou a Igreja de Mornijside, pastoreada pelo Rev. John Marks. Depois disso, Neil continuou a freqüentar lá.

Num final de semana quando ele visitava Rosa em Maputo, eles foram à pequena Igreja do Nazareno em Vila Salazar, e naquele dia ele encontrou o Senhor. Rosa saiu de Moçambique quando a revolução era iminente, e era perigoso ficar em Maputo. Eles se casaram em Novembro de 1974.

Aqueles eram dias felizes. Em 1975, pediu à sua amiga Fernanda em Maputo, para que visitasse alguns missionários nazarenos que estavam na prisão, Rev. Armand Doll e Rev. Hugh Friberg. Fernanda conseguiu transferir mensagens telefônicas entre os prisioneiros e as suas esposas Pauline Doll e Evelyn Friberg, que estavam em Johanesburgo e nos EUA. Os pais de Rosa vieram de Portugal para visitá-la em Novembro de 1976, e encontraram o Senhor através do Pastor nazareno Rev. Ian e sua esposa Mrs. Marilyn Croudace.

Rosa começou a ficar anêmica, fraca, e com enjôo. Finalmente em Maio de 1978 descobriram que ela tinha leucemia mieloblástica aguda. Ela acreditava que Deus poderia curá-la, e muitas pessoas estavam orando por ela. O Pastor Croudace tinha certeza que Deus tocaria o corpo dela. Durante os dois primeiros dias em que ela esteve no Hospital Addington em Durban, ela sentiu um forte desejo de visitar outros pacientes com leucemia. Apesar da sua fragilidade, ela fez um grande esforço e visitou várias senhoras e orou com elas. A família de Neil ficou distante deles após o casamento, e Rosa e sua irmã não se falavam havia sete anos. Rosa tomou a iniciativa em ambos os casos e conseguiu uma reconciliação coma família de Neil assim como com sua irmã.

Apesar de ela ter procurado santificação completa, Rosa nunca tinha tido a certeza desta experiência. Agora, ao orar, Deus mostrou a Neil e a ela que eles estavam em falta no pagamento do dízimo. Ela compartilhou o capítulo de Malaquias capítulo 3 com Neil, e eles louvaram a Deus e decidiram obedecer a Ele. Rosa finalmente recebeu certeza plena da santificação, e a sua única oração era: "- Senhor faz de mim uma benção."

O tratamento que ela recebia para a sua doença parecia que somente a deixava pior. Finalmente um especialista disse a Neil que não havia mais nada que eles pudessem fazer, já que o corpo dela estava rejeitando todo o tipo de tratamento. Ele disse que Rosa só teria duas ou três semanas de vida. Quando Neil contou isto a Rosa, ela respondeu: "- Não importa. Para o Senhor nada é impossível. Até o último momento, ele ainda pode multiplicar os dias da minha vida!" Duas semanas depois, ela repetiu um exame de sangue, e foi declarada livre da leucemia. O pessoal do hospital ficou assombrado. Ela continuou com o tratamento, indo e voltando ao Hospital durante meses. Em março de 1979, o resultado dos exames de medula óssea mostrou a ausência definitiva da doença.

Ela voltou a trabalhar e a visitar pacientes de leucemia do hospital. Através do ministério dela, muitos pacientes de leucemia aceitaram o Senhor.

Em setembro de 1980, o seu pastor, David Holmes, lhe convidou para ser presidente da Sociedade Missionária, Ela serviu com muito entusiasmo. Todos os tratamentos foram terminados em Março de 1982 e ela se sentia bem. O médico dela, Dr. Rhodes, advertiu que depois da quimioterapia o músculo cardíaco poderia ficar severamente enfraquecido e que seria muito perigoso se a Rosa ficasse grávida.

Rosa em confiança decidiu deixar este assunto nas mãos de Deus. Mais tarde, naquele ano, visitaram os EUA e Portugal. Então, outro milagre aconteceu. Depois de muitos anos de casamento, Rosa ficou grávida. Em 23 de Agosto de 1983, Cornelius (Niki) nasceu de cesárea. O bebê era normal e saudável. Essa história milagrosa foi contada pela maioria dos principais jornais através da África do Sul.

Aparentemente, no entanto, a condição de fraqueza do coração de Rosa não foi descoberta a tempo de ser tratada com sucesso. Ela começou a ficar cada vez mais fraca e faleceu por uma falha cardíaca congestiva. Ela faleceu em 31 de agosto. [1] A sua morte foi inesperada e repentina. Neil escreveu:

Em dois de Setembro, dois dias depois da morte de Rosa, eu sentia que Deus estava distante e desinteressado, mas ao pegar o meu livro de meditações "Luz da Vida", o Senhor realmente falou comigo. Se alguém tivesse derramado um balde de água gelada na minha cabeça, eu não teria ficado tão chocado.Eu tinha visto na minha caminhada cristã, como ele havia falado com muitas outras pessoas. Mas esta era a primeira vez que Deus falava comigo de forma tão direta. Tive que ler a página uma vez mais para entender o que Deus estava me dizendo. Senti-me perfeitamente em paz quando fiquei de pé, e louvei a Deus pelo grande privilégio de ter sido o esposo da Rosa. Devido à vida dela, eu conheço o Senhor como o meu Salvador.

Também aprendi a confiar em Deus quando não consigo entender. Eu sei que não terei uma resposta completa do por que, mas ao mesmo tempo regozijo-me pela fé de que Ele sabe TUDO e que em todas as coisas: "(...) Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam..." (Romanos 8:28). Também em João 17:7 "Você não compreende agora o que estou lhe fazendo; mais tarde, porém, entenderá." Eu não entendo completamente, mas descanso no fato que Ele não comete erros.
O Neil fez esta homenagem para Rosa:
A vida da Rosa tinha qualidade, e com isso quero dizer que ela deixou a sua marca neste mundo, na minha vida assim como na vida de muitos outros. O seu ministério de pregação aos pacientes e leucemia no Hospital, demonstrou a sua preocupação pela vida espiritual das pessoas. Eu louvo a Deus por todos aqueles que aceitaram o Senhor através do amor dela e a sua preocupação por eles... A vida da Rosa foi tal que ela mantinha "as contas claras" com Deus. Ela estava sempre pronta para confessar qualquer ofensa que ele tivesse feito ao senhor ou a outros. No nosso casamento, nós seguimos o mesmo princípio. Problemas e diferenças existiam, mas nós os tratávamos imediatamente, de modo que não ficasse nenhuma barreira na nossa relação e na relação com Deus. Quando a Rosa partiu, não ficou nada para trás. Eu não preciso viver com o sentimento de "se eu tivesse… [2]
O Sr. David e Graham a Sra. Yvonne Graham da Igreja Morningside cuidaram no Niki, até que Neil pôde cuidar dele. Yvonne era filha de missionários nazarenos, o Rev. Reginald e a Sra. Lillian Jones. Mais tarde, o Sr. Neil Steenkamp casou-se com a ex-enfermeira missionária nazarena, a Srta. Meryl Hilary Pattrick, do distrito da África do Sul. Eles eram membros da Igreja Horison, perto de Joanesburgo e Niki foi criado na casa deles, junto com a sua pequena irmã Luanne (1995).

Paul S. Dayhoff


Notas:

1. Carol Zurcher, 1985, Rosa, Her Journey of Faith. (Kansas City, MO: Casa Publicadora Nazarena); Neil e Meryl Steenkamp, carta, 17 de Junho, 1995.
2. Neil e pequeno Cornelius, carta, Morningside, Durban, Novembro 1983.



Este artigo foi reproduzido com permissão de: Living Stones In Africa: Pioneers of the Church of the Nazarene, edição revisada, copyright © 1999 por Paul S. Dayhoff. Todos os direitos são reservados.



Rosa Steenkamp