português
inglês
francês
suaíli
introdução
visão
notícia
índice
sujeitos potenciais
bibliografia
subsídios
escritórios
escreva-nos


Ekaidem, Jeremiah
c. 1912 a 1990
Igreja do Nazareno
Nigéria

Jeremiah U. Ekaidem veio a ser líder de um grupo que, por iniciativa própria, começou o trabalho da Igreja do Nazareno em Nigéria. Este país é o mais populoso da África, com cerca de cem milhões de habitantes, os quais englobam 500 grupos étnicos e expressões lingüísticas diferentes.

Durante a Segunda Guerra Mundial, um crente nigeriano serviu nas forças aliadas no Norte de África e na Europa. Nos finais de 1940, ele encontrou um nazareno que fazia parte da tripulação de um barco da marinha mercante que atracou em Lagos; esse tripulante deu-lhe um folheto que trazia no fim o endereço da Igreja do Nazareno. Ficou profundamente impressionado com aquilo que ouviu e leu. Acabou por compartilhar as suas impressões com a pequena igreja à qual pertencia, ao regressar a casa. Jeremiah tinha dificuldades com a educação dos filhos na sua igreja. Assim, tanto ele como alguns outros saíram. Em Abak iniciaram uma escola e igreja, à qual deram o nome de Igreja do Nazareno. A igreja, então, ficou sob a responsabilidade do Rev. Umoh.

Na região sudeste da Nigéria, localiza-se uma área ocupada pelos povos Ibibio e Ibo. Alguns desses povos trabalham na empresa moderna de preparação de plantas. Outros são fazendeiros e ocupam-se limpando matas e cultivando vários tipos de tubérculos e grãos.

Durante alguns dos anos subseqüentes, mantiveram correspondência com a Sede Internacional, em Kansas City, Missouri, EUA. O Superintendente Geral, Dr. Hardy Powers, fez estadia na Nigéria em 1951, procurando encontrá-los, porém não conseguiu contacto com eles, porque naquele momento havia dificuldades de comunicação.

Jeremiah Ekaidem fazia parte do grupo que, em 1964, com a ajuda do Procurador da República, conseguiu registrar a Igreja do Nazareno na Nigéria. Apresentaram o Manual como sua Constituição. A Igreja continuou a operar como num distrito devidamente organizado, mas não tiveram êxito em conseguir uma visita da "sua Igreja". Uma outra organização deu-lhes abertura, e a ela se uniram por algum tempo, mas acabaram por reconhecer as diferenças doutrinárias; assim, regressaram à Igreja do Nazareno.

Os missionários nazarenos Reverendos. George Hayse e Jack Riley, durante a visita que fizeram à Nigéria, no início de 1980, procuraram localizar o grupo, mas falharam em seus esforços.

Finalmente, em junho de 1986, o Dr. Bruce Taylor recebeu uma carta do Rev. J. U. Ekaidem explicando a situação deles, ao passo que convidava a igreja a aproximar-se até eles. Disse ele, em parte: "Soubemos que o Sr. esteve aqui na Nigéria. Nós somos a Igreja do Nazareno registrada. Desejamos que venham visitar-nos, porque queremos fazer parte da Igreja do Nazareno Internacional.". O Dr. Taylor conseguiu encontrar-se com eles, tendo procedido a negociações complexas e delicadas durante os dois anos que se seguiram. No dia 3 de abril de 1998, o reconhecimento deles foi consumado. O Rev. Ekaidem disse nesse dia: "Esperei durante quarenta anos que a minha igreja viesse e agora nós somos um!".

Havia já cerca de 40 igrejas, com 6.559 membros. As congregações oscilavam entre os 30 e os 300 membros. A igreja maior ficava no distrito central, em Abak, num edifício atrativo de blocos de cimento, o qual acomodava com facilidade cerca de mil e quinhentas pessoas. Muitas igrejas de dimensões menores são de bambu e cobertas de colmo. Na maioria, são igrejas rurais. Os membros vivem da agricultura. Apenas vinte por cento chegaram ao nível da escola secundária.

Cerca de metade deles possui o ensino primário e pode ler e escrever na sua própria língua, que é o effik. Apenas alguns pastores conseguem fazer uso do inglês com certa facilidade. A maior indústria local é a extração do óleo de palma.

As credenciais do Rev. Jeremiah U. Ekaidem foram reconhecidas, sendo designado superintendente do distrito.[1] Os membros deste grupo, entretanto, não têm qualquer outro conhecimento da Igreja senão aquele que obtiveram do Manual. A maior preocupação e necessidade deles é a educação teológica, a fim de que os pastores e o povo sejam instruídos nas Escrituras. Havia muito por fazer. Em 1988 organizou-se o Colégio Teológico Nazareno da Nigéria.[2]

Paul S. Dayhoff



Citações:

1. Trans African, (Florida, Transvaal, e África do Sul: Africa Nazarene Publications, janeiro-fevereiro de 1990), 5. (Março-Abril, 1990),12. (julho-agosto de 1990), 13.
2. Linda Seaman, Where The river Flows (Onde Flui o Rio), (Kansas City, MO: Nazarene Publishing House, 1997), 62-66.



Este artigo é reproduzido, com permissão do livro Living Stones In Africa: Pioneers of the Church of the Nazarene, edição revisada, direitos do autor © 1999, por Paul S. Dayhoff. Todos os direitos reservados.

Este artigo foi traduzido da língua inglesa por Rev. António Barbosa Vasconcelos, pastor cabo verdiano.




Jeremiah Ekaidem