português
inglês
francês
suaíli
introdução
visão
notícia
índice
sujeitos potenciais
bibliografia
subsídios
escritórios
escreva-nos


Chavanduka, Ignatius
1941 a 1992
Igreja do Nazareno
Zimbábue

Ignatius Daka Chavanduka nasceu em Ngezi Mhondoro, Distrito de Gatooma, Zimbábue Oriental. No ano anterior o pai dele havia sido empossado como chefe dessa região. Alguns não gostaram dessa decisão. Daí o nome Daka, que significa ciúmes.

Ignatius foi educado numa escola católica. Assistia fielmente aos serviços religiosos, mas sem nunca se converter. Os familiares continuavam a acreditar que os espíritos ancestrais tinham poder sobre a vida e a morte, e tinham de ser aplacados. Tendo conseguido trabalho em Salisbury (Harare), não encontrou entretanto nenhum amigo cristão. As pessoas desprezavam Deus e Jesus Cristo. Chavanduka pensava que Jesus morreu por causa dos males que Ele mesmo havia praticado.

Em maio de 1962, ele encontrou Cristo; a conversão trouxe-lhe paz ao coração. Foi numa campanha evangelista realizada na Missão de Dorothea. No ano seguinte encontrou a Igreja do Nazareno e uniu-se à igreja em Harare, sob o ministério do pastor Enoch Litswele.

Chavanduka encontrou santificação em 1964, quando o Superintendente Geral Dr. Hugh C. Benner visitou o campo. Sendo chamado a pregar, dedicou-se aos estudos na Escola Bíblica de Malavi em 1966 e, no ano seguinte, casou-se com Ruth Chavanduka. Aceitaram pastorear a Igreja de Kambazuma, em Harare. Em 1970 Chavanduka passou a pastorear a Igreja de Highfields. No ano seguinte, foi eleito o primeiro superintendente do Distrito de Zimbábue; serviu neste cargo até 1981. Foi ordenado em 1969 pelo Superintendente Geral Dr. V. H. Lewis.

Em 1982 transferiram-se para Zâmbia, onde pastorearam uma igreja de expressão inglesa em Lusaka. A partir de Maio de 1983, a Igreja de Woodlands passou à categoria de auto-sustentada. Foi um enorme passo de fé, porque a igreja possuía apenas um ano. De regresso a Zimbábue em 1984, Chavanduka começou a trabalhar com o objetivo de organizar a Igreja dos Arredores na zona sul de Harare; e então, em 1990, entregou-se ao evangelismo em tempo integral.

Alguém deu este testemunho a respeito dele: "Foi um jovem efetivo, que tratava as igrejas com o mesmo cuidado que a galinha dispensa aos seus pintos". Chavanduka foi o primeiro pastor zimbabuano a morrer em plena atividade. Faleceu de repente, com uma parada cardíaca, deixando esposa e seis filhos.[1]

Paul S. Dayhoff



Citações:

1. Theodore P. Esselstyn, Cut From the African Rock : A Portrait of the Church of the Nazarene in Africa(Cortado da Rocha Africana: Um Retrato da Igreja do Nazareno em África),(Kansas City, MO: Nazarene Publishing House, 1975).86. Trans African, (Florida, Gauteng, e África do Sul: Africa, Nazarene Publications, Maio-Junho, 1992),14. World Mission, (Kansas City, MO: Nazarene Publishing House, Outubro 1974), 10-11. Phephisile A. Sigudla, pesquisa por H. Friberg , (na Escola Bíblica de Siteki, c.1992).


Este artigo é reproduzido, com permissão do livro Living Stones In Africa: Pioneers of the Church of the Nazarene, edição revisada, direitos do autor © 1999, por Paul S. Dayhoff. Todos os direitos reservados.

Este artigo foi traduzido da língua inglesa por Rev. António Barbosa Vasconcelos, pastor cabo verdiano.




Ignatius Chavanduka