português
inglês
francês
suaíli
introdução
visão
notícia
índice
sujeitos potenciais
bibliografia
subsídios
escritórios
escreva-nos


Maranke, John
1912 a 1963
Igreja Apostólica da África de John Maranke
Rodésia (Zimbábue)

Fundador da Igreja Africana Apostólica de John Maranke na Rodésia (Zimbábue).

Manyika-Shona nasceu no distrito de Marakne perto de Umtali (Mutare), Maranke foi criado e educado como metodista. Ele estava acostumado a receber visões desde novo, e em julho de 1932 ele experimentou uma revelação divina, na qual ele era chamado a ser apóstolo de Cristo com um mandato missionário especial; a sua primeira tarefa foi converter os membros da sua família estendida do clã Mufararikwa de Maranke. Ao nomear vários parentes para as funções hierárquicas da igreja, ele desenvolveu um núcleo eclesiástico que serviu como base para sua notória carreira missionária e para o crescimento do movimento apostólico, a maior igreja africana iniciada na Rodésia.

Durante trinta anos Maranke viajou regularmente, quase sempre a pé, através da Rodésia e dos países vizinhos de: Botsuana, Zâmbia, Malaui, África do Sul e para o norte chegou até Zaire. Em resposta a sua mensagem profética de salvação para a África através da proclamação de Apóstolos africanos inspirados pelo Espírito, milhares se converteram, foram batizados, e organizados em congregações. A sua mensagem incluiu confrontação das religiões africanas tradicionais com a contextualização do ministério de cura e exorcismo. Maranke deu o exemplo de uma ação missionária itinerante e estabeleceu um modelo de igreja missionária e evangelística de crentes africanos sem edifícios, sem envolvimento da educação secular ou o uso de medicina.

A visão de Maranke apoiou-se principalmente na teologia apostólica e tornou-se o foco principal da pregação apostólica. Ao mesmo tempo em que a sua liderança tinha características messiânicas bem marcadas, a constante referência aos seus encontros com Jesus Cristo serviam para preservar e proteger as funções de mediação e salvação do Cristo bíblico. Celebrações pascais anuais, popularmente chamadas de Pendi (de "Pentecostes"), duravam dezessete dias terminando numa Santa Ceia que muitas vezes contaram com a participação de mais de cem mil apóstolos de Zimbábue e países vizinhos. As celebrações Pendi próximas da vila nativa de Maranke serviam para consolidar o número de membros da igreja e inspirar renovados avanços e crescimento da igreja.

Depois da sua morte os três filhos mais velhos de Maranke, Abero, Makebo e Judas o sucederam na liderança. Apesar de uma pequena cisão eles mantiveram e expandiram a esfera de influência apostólica. Não existem estatísticas exatas disponíveis, mas o movimento apostólico em Zimbábue e vizinhanças provavelmente contavam com mais de um milhão de membros em 1996.

Marthinus L. Daneel


Bibliografia:

Marthinus L. Daneel, Old and New in Southern Shona Independent Churches, vol. 1, Background and Rise of the Major Movements (1971); Bennetta Jules-Rosette, African Apostles: Ritual and Conversion in the Church of John Maranke (1975).


Este artigo foi reproduzido com a permissão do Biographical Dictionary of Christian Missions, copyright © 1998, por Gerald H. Anderson, W. B. Eerdmans Publishing Company, Grand Rapids, Michigan. Todos os direitos são reservados.